Portalphb - Portal de Notícias de Parnaíba,Piauí,Brasil


Marinha e PolÁ­cia Federal desconfiam que o Litoral do PiauÁ­ e Delta podem ser nova rota do trÁ¡fic

Marinha e PolÁ­cia Federal estÁ£o se estruturando para fiscalizar litoral e Delta.

A Marinha e a PolÁ­cia Federal desconfiam que a apreensÁ£o na “OperaÁ§Á£o Relito” de 270 quilos de cocaÁ­na da forma de cloridrato, a dois quilÁ´metros da praia, no litoral piauiense, que iam para a ItÁ¡lia, com a prisÁ£o de quatro italianos, nÁ£o Á© um caso isolado. Acreditam tambÁ©m que os traficantes de drogas internacionais sempre estÁ£o Á  procura de novas rotas para o transporte de entorpecentes e essa nova rota pode ser o litoral do PiauÁ­ e o Delta do ParnaÁ­ba, entre os territÁ³rios piauiense e maranhense.

Por isso, a SuperintendÁªncia da PolÁ­cia Federal no PiauÁ­ e a Marinha se associaram e estÁ£o trabalhando em parceria nos 66 quilÁ´metros do litoral piauiense e no trecho confrontante no Oceano AtlÁ¢ntico para o combate ao trafico internacional de drogas. A cocaÁ­na apreendida estava em um veleiro e para a Marinha e PolÁ­cia Federal fiscalizarem embarcaÁ§Áµes no mar, a PF comprou uma lancha no valor de R$ 300 mil, de alto padrÁ£o e grande velocidade.

O delegado de RepressÁ£o a Entorpecentes da PolÁ­cia Federal no PiauÁ­, Carlos Alberto Nascimento, afirmou que o litoral do PiauÁ­ Á© uma das rotas de trÁ¡fico de drogas. Ele declarou que PolÁ­cia Federal possui uma delegacia, que estÁ¡ com um trabalho muito bom de bloqueio do litoral do PiauÁ­.

“NÁ³s temos delegados lÁ¡ especializado no combate ao trÁ¡fico”, declarou o delegado federal Carlos Alberto Nascimento. Segundo ele, “o veleiro apreendido na [OperaÁ§Á£o Relito] serÁ¡ vendido, por decisÁ£o judicial, e o dinheiro revertido em prevenÁ§Á£o contra as drogas com o financiamento de entidades de prevenÁ§Á£o e recuperaÁ§Á£o e tambÁ©m na repressÁ£o com o fortalecimento da estrutura para que a polÁ­cia posse atuar na regiÁ£o”, falou Carlos Alberto Nascimento.

A Marinha estÁ¡ treinando os agentes federais para atuaÁ§Á£o no litoral e utilizaÁ§Á£o da lancha. “Hoje se consome a cocaÁ­na na forma de cloridrato na Europa e nos Estados Unidos, alÁ©m de ter passado a ser uma droga mais cara. Agora, a que passava por aqui Á© do trÁ¡fico internacional, foram 270 quilos apreendidos a mais de dois quilÁ´metros da praia”.

NÁ³s tivemos uma operaÁ§Á£o com apoio da Marinha, da Capitania dos Portos do PiauÁ­ e com recursos especiais de investigaÁ§Á£o. Foi uma operaÁ§Á£o diferente, que culminou com a apreensÁ£o de 270 quilos. NÁ³s compramos uma lancha para fazer a fiscalizaÁ§Á£o da Á¡rea do litoral piauiense e do Delta do ParnaÁ­ba. A lancha, de aproximadamente R$ 300 mil, Á© de alta performance, alcanÁ§a velocidade de quase 200 quilÁ´metros por hora, tem seguranÁ§a porque o casco Á© segmentado e permitirÁ¡ operaÁ§Áµes com a Marinha”, declarou o superintendente regional da polÁ­cia federal do PiauÁ­, Nivaldo Farias.


    Fonte: Efrém Ribeiro do M
    Foto: Divulgação
    Edição: Walter F. Fontenele/PortalPhb
    Postada dia 25/12/2012 às 15:37