Portalphb - Portal de Notícias de Parnaíba,Piauí,Brasil


Depois de ``maratona`` em 2014, Rafael dos Anjos pede descanso ao UFC

Brasileiro lembra que lutou três vezes em quatro meses e deixa decisão de uma luta por título com o UFC: ``Só penso em dar atenção à minha família``

Após vencer Ben Henderson por nocaute no primeiro round, o brasileiro Rafael dos Anjos só consegue pensar em duas coisas: descansar e dar atenção a sua família. O peso-leve disse na entrevista coletiva concedida depois do combate que vem numa sequência muito forte de lutas em 2014 e que qualquer chance de disputar o título da competição será decidido pelo UFC, após um período de repouso.


- Primeiramente, é preciso dizer que fiz três lutas em quatro meses. Isso é muito. Ainda não sei o que virá no futuro, mas o que o UFC mandar, vou fazer. Agora, só consigo pensar em dar um pouco de atenção à minha família e descansar um pouco. O que tiver que vir depois, está nas mãos do UFC - contou o brasileiro.


Rafael dos Anjos ainda falou que estava preparado física e psicologicamente para um combate mais longo, já que o evento principal da noite previa uma disputa em cinco rounds. Porém, a paciência que seus treinadores pediram não foi necessária, pois com pouco mais de dois minutos do primeiro round o lutador acertou um fortíssimo cruzado de esquerda em Bendo, derrubando o ex-campeão dos pesos-leves.


- Claro que eu tenho muita confiança no meu jogo em pé, na trocação, treinei bastante e estava preparado para cinco rounds. Foi meu primeiro evento principal, ainda não tinha lutado cinco rounds no UFC, então o plano de jogo era ter paciência, mas ser bastante duro.

Aos 29 anos, Rafael dos Anjos, que é oriundo do jiu-jítsu, agora tem um cartel de 22 vitórias e sete derrotas. O triunfo serve para dar mais notoriedade e reconhecimento a ele, que se considerava sempre subestimado pelo público ligado ao MMA. Já Ben Henderson, um ano mais velho, sofreu o quarto revés da carreira. Desde os tempos de WEC, o americano só havia perdido para Anthony Pettis (duas vezes). E nunca, em toda a carreira, havia sido nocauteado, o que torna ainda maior o feito de Rafael.

    Fonte: Combate.com Tulsa, EUA
    Foto: Getty Images
    Edição: Walter F. Fontenele / Portalphb
    Postada dia 24/08/2014 às 10:36