Portalphb - Portal de Notícias de Parnaíba,Piauí,Brasil


ApÁ³s morte de alpinista, federaÁ§Á£o vai vistoriar Morro do PÁ£o de AÁ§Áºcar

A FederaÁ§Á£o de Montanhismo do Estado do Rio de Janeiro (Femerj) farÁ¡ uma vistoria na via Ferrata, no Morro do PÁ£o de AÁ§Áºcar, nesta segunda-feira (3), para apurar as causas da queda do alpinista Bruno da Silva Mendes, de 32 anos, que morreu, neste domingo (2), durante uma escalada.

Bruno morreu apÁ³s sofrer uma queda de cerca de 60 metros durante a escalada. A morte foi confirmada pelo Grupamento de OperaÁ§Áµes AÁ©rea (GOA) do Corpo de Bombeiros. Um helicÁ³ptero da corporaÁ§Á£o foi acionado, por volta das 15h30, para resgatar ele e a alpinista que o acompanhava, Andreia Pereira, de 40 anos.

De acordo com a Secretaria municipal de SaÁºde, Andreia sofreu pequenas escoriaÁ§Áµes e o estado dela Á© estÁ¡vel. A alpinista permanece internada no hospital Miguel Couto, na GÁ¡vea, na Zona Sul da cidade.


Cabos de aÁ§o precÁ¡rios
A entidade jÁ¡ havia feito um alerta aos alpinistas em sua pÁ¡gina na internet sobre problemas no cabo de aÁ§o da Via Ferrata ou Cepi, onde ocorreu o acidente. "O cabo de aÁ§o da via Cepi encontra-se precÁ¡rio em alguns pontos, estando inclusive rompido em um determinado trecho", diz o aviso.


No entanto, o presidente da Femerj, Delson Queiroz, disse que nÁ£o havia informaÁ§Áµes de problemas no ponto exato do acidente. "De fato, o cabo estÁ¡ precÁ¡rio em alguns trechos, mas, curiosamente, neste ponto especÁ­fico do acidente, o que a gente sabe Á© que houve manutenÁ§Á£o recente", afirmou Delson.

De acordo com o presidente da entidade, a dupla seguia a escalada pela Via dos Italianos e teria emendado na Cepi, onde houve o acidente. Delson Queiroz explicou ainda que jÁ¡ houve vÁ¡rios acidentes nesse trecho porque o cabo de aÁ§o facilitava o acesso de pessoas nÁ£o preparadas.


"Por esse motivo, hÁ¡ cerca de 10 anos, nÁ³s retiramos o trecho inicial do cabo de aÁ§o e trocamos por outro tipo de progressÁ£o para obrigar os alpinistas a terem material mÁ­nimo para a escalada, garantindo mais seguranÁ§a. Desde entÁ£o, nÁ£o houve mais acidentes. O deste domingo foi o primeiro", frisou Delson Queiroz.

Ainda segundo ele, Bruno nÁ£o era um alpinista inexperiente. "NÁ³s precisamos apurar para saber exatamente o que aconteceu, se o cabo de aÁ§o realmente se rompeu. Por enquanto, sÁ³ podemos lamentar esse acidente. Á‰ uma coisa muito triste", disse o presidente da Femerj.


Depoimento
Investigadores foram ao hospital Miguel Couto, na GÁ¡vea, na Zona Sul do Rio, na noite deste domingo (2), para ouvir Andreia Pereira. O objetivo Á© descobrir o que teria provocado a queda do alpinista, que seguia na frente da corda como guia da escalada. As informaÁ§Áµes sÁ£o da assessoria da PolÁ­cia Civil.

Embora policiais civis da 13ª DP (Copacabana), Central de Flagrantes neste domingo, terem ido ao hospital para colher informaÁ§Áµes sobre o caso, a ocorrÁªncia ainda nÁ£o foi registrada, segundo a PolÁ­cia Civil.


    Fonte: G1.com
    Foto: Divulgação
    Edição: Walter F. Fontenele/PortalPhb
    Postada dia 03/12/2012 às 08:14