Portalphb - Portal de Notícias de Parnaíba,Piauí,Brasil


Grande pÁºblico prestigia ao espetÁ¡culo: "Um Homem Chamado Jesus"

Uma tradiÁ§Á£o da sexta-feira santa em ParnaÁ­ba, Á© a adaptaÁ§Á£o e encenaÁ§Á£o da Vida e morte de Jesus Cristo, realizada hÁ¡ 19 anos pelo Grupo PES (PerseveranÁ§a do EspÁ­rito Santo), da paroquia de SÁ£o SebastiÁ£o.

Sexta-feira Santa

A Sexta-Feira Santa, ou da PaixÁ£o, Á© a sexta-feira antes do Domingo de PÁ¡scoa. Á‰ a data em que os cristÁ£os lembram o julgamento, paixÁ£o, crucificaÁ§Á£o, morte e sepultamento de Jesus Cristo.

HistÁ³ria do Grupo PES

“O Grupo PES, surgiu em 1992 com a necessidade de uma equipe que pudesse assessorar a coordenaÁ§Á£o do setor Sacramento na catequese de jovens da crisma da paroquia de SÁ£o SebastiÁ£o”.

“A iniciativa surgiu de jovens recÁ©m-crismados, com o objetivo de dar continuidade a formaÁ§Á£o espiritual e motivar a perseveranÁ§a desses jovens.”

“O Grupo PES foi fundado em 28 de novembro de 1992 com sede permanente nos anexos da Matriz de SÁ£o SebastiÁ£o. O Grupo tem estatuto prÁ³prio, onde o principal objetivo Á© assessorar a pastoral da crisma, a pastoral do batismo e ser atuante na pastoral da juventude.”

Atividades Principais

Catequeses de jovens;
CelebraÁ§Áµes;
ReuniÁµes;
FormaÁ§Áµes de Batismos;
Coreografias;
Esportes;
Ensaios de cÁ¢nticos;
Teatro.
(Com informaÁ§Áµes do Site oficial do Grupo PES)

PaixÁ£o de Cristo

A PaixÁ£o de Cristo Á© com certeza a histÁ³ria mais antiga e tambÁ©m a mais contada, adaptada e filmada do mundo. Em ParnaÁ­ba ela acontece hÁ¡ 19 anos, sempre na sexta-feira santa, ou da paixÁ£o, como preferem alguns. A encenaÁ§Á£o dessa sexta-feira Santa de 2013 mobilizou uma grande equipe de atores, atrizes e pessoal da Á¡rea tÁ©cnica, de som, iluminaÁ§Á£o e montagem dos vÁ¡rios palcos utilizados na encenaÁ§Á£o.

Uma mega estrutura foi montada com vÁ¡rios palcos, onde as vÁ¡rias passagens do suplicio de Jesus foi interpretada pelos atores, todos trajados a carÁ¡ter, onde podÁ­amos ver nos rostos de cada integrante toda a emoÁ§Á£o que as cenas causavam, deixando transparecer essa emoÁ§Á£o ao pÁºblico.

A estrutura contou ainda com dois telÁµes que reproduziam em tempo real toda a encenaÁ§Á£o da vida e morte de Jesus Cristo.

O som de altÁ­ssima qualidade, juntamente com os efeitos especiais gerados por canhÁµes de luz, remetia-nos hÁ¡ 2.000 anos, ao tempo da passagem de Jesus pela Terra, e por todo sofrimento que ele passou em sua missÁ£o de evangelizar a humanidade.

Resumir o espetÁ¡culo em uma Áºnica palavra Á© impossÁ­vel. Com certeza, a nossa impressÁ£o foi Á  mesma das centenas de pessoas presentes ao teatro a cÁ©u aberto, montado ao lado da Igreja de SÁ£o SebastiÁ£o. Independentemente de credo, raÁ§as e crenÁ§as pessoais, todos foram unÁ¢nimes em qualificar o espetÁ¡culo como maravilho, emocionante e perfeito.

Resumo da EncenaÁ§Á£o da PaixÁ£o de Cristo
A PaixÁ£o de Cristo narra Á s Áºltimas doze horas da vida de Jesus. Todo o enredo tem inicio com a tentaÁ§Á£o do demÁ´nio ao filho do Homem, para que ele abdicasse de todas as dores que iria sofrer, pois a humanidade nÁ£o merecia tanto sacrifico.
O enredo continua com a Áºltima ceia que Cristo teve com os seus dozes apÁ³stolos. Nessa ceia Cristo revela que serÁ¡ traÁ­do e aponta o traidor com sendo Judas, entregando a ele um pedaÁ§o de pÁ£o com vinho. Logo em seguida, Cristo para mostrar que a humildade Á© uma virtude a ser seguida, lava os pÁ©s de todos os seus seguidores, e recomenda que todos faÁ§am o mesmo entre si.

Jesus e seus seguidores vÁ£o ao jardim de GetsÁ©mani para orar. Depois de ter sido traÁ­do por Judas, Jesus Á© logo preso no jardim e levado de volta para JerusalÁ©m, onde os lÁ­deres dos fariseus apresentam acusaÁ§Áµes blasfÁªmia contra Jesus. Ele Á© condenado Á  morte pelos lÁ­deres religiosos e pelo povo.

Jesus Á© levado Á  presenÁ§a de PÁ´ncios Pilatos - o Governador Romano - que tinha o poder de condenar ou libertar Jesus da morte certa pela crucificaÁ§Á£o. Pilatos vivia momentos difÁ­ceis em sua vida polÁ­tica e ele nÁ£o queria criar conflitos com os lideres religiosos da Á©poca que clamavam pela condenaÁ§Á£o de Jesus. Numa atitude de tentar livrar-se do problema, Pilatos passa a responsabilidade de julgar Jesus ao Rei herodes. No entanto, Herodes nÁ£o vÁª motivos para julgar um homem que nÁ£o aparentava perigo algum, mandando Jesus de volta para Pilatos. Sem alternativas, Pilatos entÁ£o decide dar ao povo a decisÁ£o de soltar Jesus ou BarrabÁ¡s, o ladrÁ£o cruel e perigoso. O povo decide-se por condenar Jesus Á  morte.
Jesus Á© entregue aos soldados Romanos que o espancam brutalmente, alÁ©m de ridiculariza-lo com piadinhas. Jesus entÁ£o Á© levado de volta Á  presenÁ§a de Pilatos, que apresenta Jesus para multidÁ£o enfurecida e sedenta pela sua morte. Pilatos entÁ£o lava as suas mÁ£os, numa atitude de tentar livra-se da responsabilidade, e ordena que seus soldados faÁ§am com Jesus o que a multidÁ£o clamava.

Jesus em mais um momento de humilhaÁ§Á£o Á© obrigado a levar sua prÁ³pria cruz pelas ruas de JerusalÁ©m atÁ© o GolgotÁ¡, que seria seu calvÁ¡rio final. JÁ¡ na cruz, Jesus percebe que seu Pai celestial o abandonou por causa do pecado do mundo que Jesus carregou em si mesmo. Depois de muitas horas e sofrimentos, Jesus proclama que estÁ¡ tudo consumado, e olhando aos cÁ©us balbucia suas Áºltimas palavras: "Pai, nas tuas mÁ£os eu entrego o meu espÁ­rito".

Making Off



Fotos da EncenaÁ§Á£o de "Um Homem Chamado Jesus"



    Fonte: Portalphb,com.br
    Foto: Walter F. Fontenele
    Edição: Walter F. Fontenele/PortalPhb
    Postada dia 29/03/2013 às 23:01