Portalphb - Portal de Notícias de Parnaíba,Piauí,Brasil


Para onde vai á água?

Quem costuma frequentar o litoral, com certeza, já reparou que, ao longo do dia, o nível do mar oscila entre maré baixa e maré alta. Mas você sabe como funciona esse fenômeno da natureza e quais as suas implicações?

Ao contrário do que parece não é verdade que o mar enche e depois esvazia. O que ocorre é um deslocamento da água de um lugar para o outro. O efeito das marés é provocado pela aproximação dos astros com o campo gravitacional da Terra. A lua, por exemplo, interfere diretamente no campo de gravidade do nosso planeta, provocando as marés vivas nas fases de lua nova e lua cheia e, marés mortas nas fases de lua minguante e lua crescente.

No período de 24 horas e 48 minutos, as águas do mar sobem e descem duas vezes. Podemos dizer que as marés são movimentos oscilatórios verticais e periódicos. As massas oceânicas localizadas nos pontos mais próximos à lua sofrem aceleração e são atraídas para cima; quando a lua se afasta, o movimento se desloca para outro ponto. A força de atração da lua é a mais notória, mais todos os astros do sistema solar interferem nas marés. E nesse movimento de sobe e desce de marés é onde entra em ação a lógica de desobstruir o canal que já existia do oceano até a Lagoa do Portinho. Para quem não sabe a lagoa possui 5,6 km2 de extensão e, essa água no movimento de cheia da maré ela entra e se espalha em toda a sua extensão. Portanto, o trabalho é continuo e não poderá ser encerrado apenas com o fim do período programado para a realização.

A questão é que existe uma meia dúzia de pessoas que cruzam os braços e questionam tentando desestabilizar o que está sendo feito. Até conseguiram sim, atrapalharam o andamento da execução do canal no início do mês de abril de 2016. O que está sendo feito é algo para revitalizar a ``agonia de sede`` que a lagoa passa. Mas existem outros fatores que precisa ser solucionados (boa precipitação, solução de barragens em leitos de afluentes, tentar evitar o grande avanço de dunas, o assoreamento, etc.). Por que ao invés de algumas pessoas ficarem tentando desestabilizar o grupo que tenta salvar a lagoa, não arregaça as mangas e, apresenta algo que seja melhor do que está sendo feito até agora?

A altimetria verdadeira da lagoa do portinho é de aproximadamente 1,90M. Essa altimetria foi analisada e comprovada por pessoas capacitadas feito em abril de 2016 e, não como se afirmam pela cidade de Parnaíba que é de 17 metros, afirmação essa que se encontra em estudos de acadêmicos da UFPI de Teresina (Departamento de Ciências Naturais e Arqueologia) do ano de 2008, uma análise que fugiu o estudo específico da realidade do curso da água naquele local e, que depois os próprios técnicos do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), na época descartaram a ideia de alguns levantamentos feitos por esses acadêmicos citados eliminando algumas análises dos mesmos pelo órgão CNPq, principalmente que a água do oceano que entrava na lagoa se desperdiçava (voltando) um grande volume de litros de água. Estudo esse feito para a prospecção arqueológica e cadastramentos de sítios ao redor da lagoa, estudo esse que não se referia a um aprofundamento detalhado da Lagoa do Portinho, era algo voltado para outras análises, lá sabe pra o que era?

O movimento da água que faz na natureza é infinito e circular, em rios, lagoas e oceanos.


Texto: Cristiano Bezerra, formado em Ciências Biológicas.

Fonte: Walter F. Fontenele / Portalphb
Foto: Walter F Fontenele
Edição: Walter F. Fontenele/PortalPhb
Postada dia 20/04/2016 às 12:07