Portalphb - Portal de Notícias de Parnaíba,Piauí,Brasil


Transporte público, insatisfação coletiva

Parnaíba é a segunda cidade do estado e à população ainda sofre com a péssima qualidade do transporte público. Ônibus e vans em estado deploráveis, sem falar nos pontos de embarques e desembarques que praticamente não existem. O transporte é público, mas não é gratuito. Por que então os empresários do setor não investem em veículos com maior segurança e conforto para os passageiros? Com certeza, porque falta a fiscalização da Prefeitura e do legislativo de Parnaíba, ou pelo menos de parte dele.

Saber por que o transporte público de nossa cidade é ruim é um direito da população, mas, infelizmente, falta transparência do Legislativo e do Executivo para informar às reais causas que atravancam a melhoria do serviço. Enquanto a transparência e, principalmente, as providências não acontecem à população ainda é obrigada a circular em veículos sem segurança, e sem conforto, veículos esses que são adquiridos como forma de refugo em outras capitais brasileiras, onde os mesmo não podem mais circular.

Muito já se falou, manifestações foram promovidas, audiências públicas foram realizadas, mas o serviço de transporte público de nossa cidade continua deplorável.

Eu concordo em gênero, número e grau que esse é um problema de difícil solução. À população de Parnaíba sabe que existe uma máfia implantada dentro do Legislativo da cidade que controla o que vai ou não acontecer de mudanças no setor. Sabe também que o Prefeito, Florentino veras (PT), nem tem poder nem interesse de bater de frente com essa gente que, na sua maioria, o apoia, incondicionalmente.

Ninguém pode negar que a gestão do município tem acertos, mas também não podemos tampar o sol com a peneira e ficarmos calados a todos os problemas que temos e que poderiam ser resolvidos com mais força política, força de vontade e transparência.

Fonte: Walter Fontenele / Portalphb
Foto: Folha de Parnaíba / Cidade Verde
Edição: Walter F. Fontenele/PortalPhb
Postada dia 19/02/2016 às 10:41