Portalphb - Portal de Notícias de Parnaíba,Piauí,Brasil


Impeachment não é golpe

O ``impeachment`` de Fernando Collor de Melo sacramentado dentro da mais estrita legalidade em 1992, pelo Congresso Nacional, ainda hoje é lembrado como uma referência de força que a nossa frágil democracia chegou depois de décadas de regime militar. Naquela época o PT e, o candidato derrotado nas eleições, Luís Inácio Lula da Silva, estiveram na linha de frente dos protestos que levaram ao ``impeachment`` de Collor. Outras organizações também tomaram a frente de todo o processo: UNE, OAB, ABI (Associação Brasileira de Imprensa) e, em nenhum momento, ouviu-se a palavra ``golpe`` ou às pessoas e entidades que apoiaram o processo foram classificadas de ``golpistas``.

Nos governos de Fernando Henrique Cardoso mais uma vez o PT liderou manifestações cuja temática era sempre a mesma:``fora FHC``. É bom frisar que o impeachment estar na constituição e é um direito legítimo, desde que exercido pelas vias institucionais, daquelas pessoas que viram indícios nos governos de FHC que poderiam levar a sua deposição, assim como aconteceu com Collor. Todos os pedidos de ``impeachment`` de FHC foram negados pelo Congresso Nacional.

Mudam-se os atores, mas a comedia melodramática continua a mesma. À medida que o MPF e a PF descortinam o maior escândalo de corrupção da história da humanidade, vários grupos - não necessariamente vinculados a algum partido político - tem saído às ruas em manifestações com o refrão ``fora Dilma``.

``Golpista`` é a palavra mais utilizada pelo PT para classificar o processo de impeachment da Presidente Dilma. Essa palavra na boca da Presidente Dilma e de seus asseclas é associado a todo e qualquer cidadão ou entidade que falar na deposição da Presidente Dilma. Na visão dos petistas não existem bases legais para, nem se falar de impeachment, muito menos para que Eduardo Cunha tenha acatado um, dentre dezenas de pedidos que chegaram as suas mãos. ``Esses golpistas que hoje têm essa característica, eles não nos perdoam por estarem tanto tempo fora do poder``, declarou Dilma.

É preciso que fique bem claro a toda à população que, o impeachment, não é golpe, pois é um ato constitucional que qualquer pessoa ou entidade pode pedir em casos de desvios de conduta e de verbas públicas. É legal sim, pedir impeachment de quem quer que seja em casos de condutas que atentem contra a nossa constituição e contra o país.

O pedido de impeachment da Presidente Dilma está baseado em crimes de responsabilidade fiscal ou probidade administrativa. Assim não poderá ser visto como golpe se for proposto e ficar provado que ela sabia, se se beneficiou ou nada fez para conter a corrupção deslavada que o MPF descobriu na Petrobras e em outras estatais.

Em 1992 as manifestações populares foram legitimas e encabeçadas pelo PT e, principalmente, pelo Lula, por que então não considerar legitimas as manifestações e o pedido de ``fora Dilma``? Será que a Presidente Dilma e o PT estão acima de qualquer suspeitas, acima do bem e do mal?

Fonte: Walter Fontenele / Portalphb
Foto: Divulgação
Edição: Walter F. Fontenele/PortalPhb
Postada dia 07/12/2015 às 22:19